Central Blogs
. Licença Creative Commons
sulmoura de Maria Toscano está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.
Baseado no trabalho disponível em http://sulmoura.blogspot.pt/.

domingo, fevereiro 01, 2009

resposta ao repto da Mª Gabriela na sequência do repto da Maria Gomes

.
.
pode ler-se:
.
.
.
"resposta ao repto da Maria Gomes
respondendo ao repto que me foi lançado pela Maria Gomes do blogue "Romã [A] de Vidro", transcrevo a 6ª linha, na página 161, de um romance histórico de ken follett ,
"os pilares da terra", vol II .depois ,se o engenho me ajudar ,tentarei escrever algo...
.
.
mas antes, remeto o convite para esta ciranda à Maria Toscano ,à Mateso ,ao João Rasteiro e ao Luís Costa .
leiam ,por favor ,a 6ª linha da página 161 do livro que estiver mais próximo de vós, transcrevam-na e… escrevam.
.
.
[...]pancada que o atirou pelo ar. O cão foi aterrar como um saco de ossos.[...]"
.
.
.
agora, vamos aqui à 6.ª li da p. 161... de... ?
.
.
.
João Barrento, "Na Dobra do Mundo. Escritos Llansolianos". Mariposa Azual, 2008.
.
.
.
!!!!!!!!
?????
.
.
.
isto é "inscrevível!" e passo a citar:
.
.
.
(...) e num saber que são constitutivamente intrínsecos do histórico" *
.
.
.
.   .   .
.
.
(riscos escritos na sequência do repto)
.
.
.
(...) e num saber que são constitutivamente intrínsecos do histórico" *
.
é do lamber mais sinuoso
íntimo de tão físico
que as teses e os ensejos aprendem
a saber o desejo.
.
.
.
.
.
do mínimo e devastador limbo da pele, sorvo de espuma a ferver
em verso
em carne ao vivo
fractura exposta do que intensamente
vibra e
volta a gemer-
se. a si.
.
.
.
é desse miolo requebrando uns lábios finos
nos lábios fortes do abrir
no abrir da tua veia 
vinco imanente da exaustão brava
.
.
do milagre da conversão do nervo em sémen
do milagre da gestação do instante
desse milagre
fulminante
apartando os ácaros da prosa
refulge a fala a lavra 
a lava
em uni/verso  "e num saber 
que são constitutivamente intrínsecos do histórico"
poema à mão.
.
.
.
.
* in João Barrento, Na Dobra do Mundo. Escritos Llansolianos.
Mariposa Azual, 2008. .
.
.
.
maria toscano, Coimbra, 1 fevereiro/2009
.
e....
passo o repto para o José Ribeiro Marto, o Augusto Mota, o Vitor Oliveira Mateus e...
a Maria Azenha
(eh eh eh!)
.
(uf...)
.
mt

7 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Gostei do teu blogue. É muito interessante, mas vou ler e ver mais.
Bom Domingo.

Maria Toscano disse...

Caro Nilson Barcelli: Bem-Vindo!
.
veio em dia de muita "movida"; volte, sempre que quiser, claro!
.
Cordialmente,
mt

mariah disse...

Respondendo ao repto:

Pág. 161, linha 6 do livro - O teu corpo diz "Ama-te" - A Metafísica das doenças e do mal-estar de Lise Bourbeau.


"com uma crise de epilepsia, constrange-se"


Beijinho,
Maria Azenha

mariah disse...

Respondendo ao repto:

Pág. 161, linha 6 do livro - O teu corpo diz "Ama-te" - A Metafísica das doenças e do mal-estar de Lise Bourbeau.


"com uma crise de epilepsia, constrange-se"


Beijinho,
Maria Azenha

Maria Toscano disse...

que melhor metáfora haverá em Todos Os Poemas do Mundo?
:-)
irei ver... e ler!
Obrigada!
um abraço,
mt

L.C. disse...

No repto que a Gabriela
nos lançou li o seu nome
e decidi visitá-la.
Vim, entrei, vi e gostei
certamente voltarei.

Evoé!

L.C.

Maria Toscano disse...

L.C.
pois Muito Bem Vindo! e Volte Sempre!
( "Évoé! " — fez-me lembrar de um Belíssimo Poema da Hélia Correia, creio, sobre o 25 de Abril; coisas da poesia...)
:-)
Bem Haja!
.
mt

já de abalada? ande cá! corra a cuartina de riscas e sente-se aí no mocho (no canapé? é melhor nã, nã seja que as preguetas lhe dêem cabo da roupa).
.
faz calôrê nã? é tempo dele! no cântaro hai água fresquinha! e se quiser entalar alguma coisaaaa... a asada das azeitonas está chêinha, no cesto hai bobinha e papo-secos (com essa chôriça... ou com o quêjo de cabra, iiiisso!, nessa seladêra de esmalte!);
.
chegue-se à mesa! - cuidado não lhe rebole a melancia para cima dos dedos do péi... assim... - entã nã se está melhórê?
.
nã, nã, agora nã vai máinada! estou a guardar-me pra logo... ora na houvera de sêri! ah! já lhe dê o chêro! pois é: alhos e coentros e um nadica de vinagrê... vem aí do alguidar de barro... sim, sã nas carnes prá cêa.
.
como nã sê o que o trouxe cá, forastêro, ‘stêja nesta sulmouradia como à da sua: pode ir mirando os links ("do monte"; "olivais..."; "deste planAlto..."; estas é que são...") os montes de que gostamos; pode ir vendo os posts por data ou esprêtando as nossas etiquêtas
("portados"); ou pode ir passando os olhos só pelos mais recentes.
.
ah! repare lá que por estes lados nã temos o hábito de editarê todos os dias - não é um blogue-diário, 'tá a vêri?; pensámo-lo antes como sendo uma espécie de blogue-testemunho das vozes do Sul (o de cá e os Suis todos); mas temos ainda muito qu'arengar... vamos lá chegando, n'éi? devagarê, que o sol quêma!
.